• Simova

3 DICAS PARA OTIMIZAR O MONITORAMENTO DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS

Para gerenciar as operações de um empreendimento de maneira eficiente e adequada às necessidades do mercado, é necessário muito conhecimento e certeza.


Assim, o sucesso da empresa só pode ser alcançado quando o gerente toma atitudes corretas, baseando-as em informações reais. Em meio a esse cenário, a segurança de uma máquina agrícola é essencial para melhorar o desempenho de sua gestão.


Porém, devido à correria do dia a dia e ao despreparo, alguns profissionais tomam atitudes que atrapalham o monitoramento. Neste post, mostramos a relevância desse assunto na produtividade de suas máquinas agrícolas e damos três dicas para aprimorar suas atividades. Confira!



A IMPORTÂNCIA DO MONITORAMENTO DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS


A segurança é um fator essencial para o funcionamento de suas ferramentas de trabalho e não poderia ser diferente no monitoramento de máquinas agrícolas.


Por mais bem preparada e capacitada que sua gestão seja, imprevistos e problemas ainda podem acontecer e você precisa ter agilidade e assertividade em suas soluções. Nesses momentos, um sistema de monitoramento eficiente e atualizado é a diferença entre o sucesso e o fracasso de seu empreendimento. Além do mais, o estado de conservação de cada equipamento é garantido.


O ano de 2017 foi classificado como muito importante para nossa agricultura. Houve uma safra surpreendente de 238 milhões de toneladas de grãos, que ultrapassou recordes históricos.


De acordo com o FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação), o aumento da produtividade rural é o grande trunfo para obter o crescimento da produção de alimentos. Um dos segredos para otimizar a produtividade no campo é exatamente monitorar as plantações, que dependem das máquinas agrícolas.


O monitoramento integra o planejamento financeiro, pois permite conhecer cada atividade e os gastos associados a ela.


OS BENEFÍCIOS DO MONITORAMENTO DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS


A agricultura nacional precisa muito da disseminação de informações em tempo real. Esses dados, que são constantemente atualizados, ajudam a tomar decisões corretas — principalmente, quando elas estão relacionadas ao custo-benefício de uma máquina agrícola.


Com um sistema de aquisição de dados dinâmico, o empreendedor pode realizar pesquisas diversas sem ter que gastar tanto dinheiro.


Em determinados equipamentos podem ser instalados sensores, capazes de converter sinais físicos em elétricos. Esses sinais elétricos mudam conforme os parâmetros que estão sob monitoramento, devendo ser condicionados para oferecer sinais adequados à placa de aquisição de dados.


O gestor do agronegócio pode verificar esses sinais em qualquer computador, e tem inclusive a possibilidade de ter mobilidade destas informações, podendo exportar para planilhas do Excel, em arquivos de texto etc. Sendo o armazenamento mais adequado na nuvem, apesar de poder ser transportado em dispositivos físicos.


Atualmente, máquinas e colaboradores atuam em parceria contínua nessa gestão, graças à mobilidade, levando o perfil dos profissionais a ficar cada dia mais qualificado, unindo a tecnologia em campo e contribuindo para a diversificação de empregos no agronegócio, trazendo inovação e melhorias profundas na gestão.


OS EQUIPAMENTOS AGRÍCOLAS MODERNOS


desempenho operacional e as condições melhoradas de trabalho entre o homem e a máquina podem ser conquistados por meio de equipamentos mais desenvolvidos, capazes de aumentar a produtividade no campo.


Existem máquinas no mercado atual, como a semeadora de precisão, que trazem um papel importante no ciclo produtivo. Com sua precisão nas ações, apresentam um excelente controle dos insumos e logicamente afetam diretamente nos índices de qualidade.


Mas, para que ocorra esse tipo de controle, gestão e melhoria nos índices, podem-se implementar dispositivos como o MARTE da Simova, por meio do qual o gestor consegue controlar o RPM, a usabilidade do maquinário, as checklists de usabilidade do equipamento e muitos outros fatores.


Esses, unidos com um sistema como o BOB.Agro, viabilizarão a automatização dos processos (colheita, plantio, insumos, qualidade, entre outros), a maior confiabilidade de informações, o monitoramento de frotas e muitas outras funcionalidades, trazendo assim a gestão dos ativos agrícolas algo preciso.


Existem máquinas agrícolas autônomas que têm sensores de presença, GPS e outras funções pré-cadastradas. Quando não sabe o que fazer, ela envia uma mensagem ao motorista para que ele decida o que é melhor. Porém, tecnologias como essa são ainda de alto valor agregado.


Na Europa, já existe o trator escravo, que imita os movimentos de outro trator, operado por um ser humano.


DICAS PARA MELHORAR O DESEMPENHO E O MONITORAMENTO DE SEUS EQUIPAMENTOS


1. TREINE SEUS COLABORADORES


Independentemente do tamanho de sua empresa, a performance de sua equipe de trabalho está diretamente relacionada à forma como ela atua. Dessa maneira, visando à eficiência dos processos, o treinamento de seus colaboradores é fundamental.


Portanto, realize cursos e palestras para aprimorar a qualidade de sua prestação de serviço. Deixe bem claro que todos são responsáveis pela segurança e manutenção de suas máquinas agrícolas.


Funcionários bem treinados sabem utilizar os equipamentos da forma certa, ajudando na durabilidade deles e em seu desempenho. Forçar demais uma máquina, por exemplo, certamente vai levá-la a reduzir seu tempo de vida útil. Ela não conseguirá produzir tanto como antes e deverá ser reparada com mais frequência. O resultado dessa atitude displicente é que, provavelmente, o gestor precisará comprar outra máquina antes do tempo previsto.


2. ENTENDA MELHOR A IMPORTÂNCIA DE UM MONITORAMENTO DAS AÇÕES DO CAMPO


O monitoramento das ações do campo deve ser entendido como uma forma eficaz de monitorar o desempenho dos funcionários e máquinas. Mas o sucesso nessa empreitada só será alcançado se você utilizar ferramentas que coletem dados de campo e transmitam para o escritório de forma simultânea.


Vale a pena investir em dispositivos que sejam fáceis de carregar e que coletem os dados de maquinários até mesmo sem a necessidade de interação humana. A partir daí, possam enviar aqueles dados por meio de tecnologia 4G, 3G ou 2G, ou coletá-los e manter offline. Se alguém com outros dispositivos da rede passar por perto, será capaz de acessar (via Bluetooth ou rede móvel) e os transmitir, assim que houver conexão, para ao escritório central.


3. USE NOVAS TECNOLOGIAS


As tecnologias mudaram a maneira como as empresas interagem com clientes, fornecedores e colaboradores. Como consequência disso, os processos agrícolas foram aprimorados e aumentaram a produtividade de um empreendimento.


Com o objetivo de acompanhar essa tendência e sair na frente de seus concorrentes, ao realizar o monitoramento, sempre utilize as tecnologias e estratégias mais modernas existentes.


Atualmente, com o uso de softwares de gestão, um gerente de operações pode acompanhar todas as atividades de sua empresa em tempo real e de qualquer lugar, encontrando fragilidades e potencialidades. Lembre-se de que com o sistema de posicionamento global — GPS —, essa função é aprimorada e tem-se a precisão exigida para a sua tomada de decisões.


Além disso, a telemetria, também conhecida como comunicação sem fio, permite a interação entre os operadores e os desenvolvedores do sistema, facilitando a solução de problemas.


Com essa mobilidade é possível atender às demandas do mercado, garantir a segurança de seus equipamentos, analisar com mais precisão as informações de seu processo produtivo e ter melhores resultados.


A automação dos processos e os avanços tecnológicos tornaram a rotina de trabalho de um gerente de operações mais dinâmica e efetiva. Dessa forma, para superar obstáculos e reduzir os custos dos projetos, você deve realizar um bom monitoramento das máquinas agrícolas de sua gestão.


Veja algumas das principais tecnologias que estão sendo usadas no campo para o monitoramento de máquinas agrícolas.


OS SENSORES


São pequenos dispositivos muito úteis para monitorar a temperatura, a umidade do solo e as plantas. Eles permitem uma economia de aproximadamente 30% na utilização de água, pois medem a umidade e orientam sobre a melhor hora de irrigar.


Por apresentarem tecnologia 4G, os sensores podem realizar captações em tempo real. Trata-se de um monitoramento mais preciso, mais rápido e mais fácil de visualizar. Dessa maneira, é possível solucionar problemas eficientemente e tomar decisões certas.


A MOBILIDADE


O Sistema de Posicionamento Global, ou simplesmente GPS, já está em uso há alguns anos no setor de produção agrícola. É possível usar o sistema como um mapa que orienta sobre as linhas de plantio e/ou de aplicação. O GPS calcula a velocidade do veículo e em qual direção ele se deslocará.


São muitas as aplicações dessa tecnologia no campo:


  • mapeamento total da plantação;

  • amostras eletrônicas do solo;

  • localização precisa das amostras do solo;

  • inspeção e monitoramento dos processos agrícolas;

  • coleta e análise de dados da lavoura;

  • administração e controle das máquinas enquanto realizam atividades.


Pode-se ainda ter o apontamento em smartphones, em que o posicionamento do maquinário ou colaborador é rastreando por GPS. Isso gera qualidade nas operações, criando checklists eficientes e registros com informações verídicas. Decorre daí uma cultura de não desperdício de tempo e recursos para os funcionários.


OS DRONES


Pequenos robôs voadores, baseados em algoritmos específicos, os drones podem reduzir os gastos com a produção em até 20%. São leves e reúnem em si câmeras e sensores. Captando imagens com qualidade superior às imagens de satélites.


Os drones podem detectar:


pragas;avaliar o tratamento feito por pesticidas;danos no ambiente;déficit de nutrientes e a necessidade de aplicar água e insumos.


Com eles, é possível economizar recursos e otimizar a produtividade. Também podem dimensionar a altura das plantações e verificar falhas no plantio. Sua atuação permite respostas rápidas e eficazes às ameaças de qualquer tipo.


O BIG DATA


Big Data é uma tecnologia que coleta e armazena um volume elevado de dados. Como nas operações agropastoris o volume de dados costuma ser alto, o Big Data é uma excelente saída para os empreendedores que trabalham na área.


Usando as tecnologias já citadas (os sensores e o GPS), a quantidade de dados aumenta ainda mais — diariamente. Ao tentar administrar tantos dados de forma manual, certamente o gestor ou outro profissional se vê diante de muitas dificuldades, perde tempo, erra muito, acontece o desgaste e a queda na produtividade.


Por esse motivo, é importante contar com um sistema que repasse as informações de maneira objetiva e clara para o gestor. O gestor terá uma lavoura fundamentada em dados confiáveis, transparentes e exatos, ou seja, sem complicações, nem ambiguidades.


OS SMARTPHONES SIMPLES


Com os dispositivos portáteis que aceitam internet 4G, o empreendedor pode ter acesso rápido a diversos dados e informações. Na palma da mão, é possível ter acesso a todo o conteúdo importante e, assim, economizar dinheiro e tempo.


Alguns aplicativos instalados em smartphones simples permitem registrar e monitorar as operações das máquinas agrícolas sem a necessidade de internet, ou seja, de maneira off-line. É possível sincronizar o dispositivo móvel ao computador de mesa ou notebook e transferir informações sobre a produtividade e o desempenho dos equipamentos.


Com essa tecnologia simples e fácil de manusear, evita-se perder os dados de monitoramento e diferentes atividades. A mobilidade ajuda na transmissão, na troca e no armazenamento das informações.


O monitoramento das máquinas agrícolas, certamente, é fundamental para ajudar na expansão do agronegócio — e com os recursos tecnológicos disponíveis atualmente, isso já não é tão complicado!


Se você gostou do post, aproveite e entre em contato conosco para conhecer as boas soluções que oferecemos!




2 visualizações
  • Facebook - Simova
  • LinkedIn - Simova
  • YouTube - Simova

Av São João, 2504, Jardim das Colinas, São José dos Campos, São Paulo, Brasil, CEP 12242000