• Simova

CONHEÇA AQUI 4 BOAS PRÁTICAS DE MANUTENÇÃO DE MÁQUINAS

A manutenção é um dos fatores mais importantes para garantir que máquinas e equipamentos mantenham-se em operação de forma confiável. A manutenção de máquinas na indústria ou na agricultura é imprescindível para o sucesso do negócio, pois garante que a empresa mantenha seu funcionamento normal e que não ocorram surpresas que impactem no orçamento.


Outro ponto que a manutenção dos equipamentos influencia são as finanças da empresa, visto que, ao eliminar quebras e paradas, reduz-se também os custos operacionais.


Para ajudá-lo a cuidar dos seus equipamentos e evitar quebras, vamos apresentar a seguir, 4 boas práticas de manutenção de máquinas que não podem faltar no seu negócio. Confira!


1. LIMPEZA


A primeira prática de manutenção que não pode faltar nas máquinas e equipamentos é a limpeza periódica, principalmente quando se trata de itens aplicados em indústrias, obras e agronegócios que podem, em um curto período de tempo, ficar demasiadamente sujos.


A sujeira, além de causar a corrosão e a degradação das máquinas, atrapalha o funcionário no uso diário e prejudica a detecção de falhas ou detalhes não-conformes. Equipamentos sujos podem, inclusive, potencializar as chances de acidentes.


Por isso, para realizar a manutenção de máquinas é fundamental realizar a limpeza periódica. Uma dica importante é instruir os funcionários a limparem os equipamentos logo após o uso ou depois do turno de trabalho.


2. LUBRIFICAÇÃO


Além de realizar a limpeza periódica das máquinas, é essencial que os funcionários façam a lubrificação dos equipamentos. A grande maioria das máquinas utilizadas em indústrias e na agricultura possui partes móveis e motores. Para que esses itens mantenham-se em operação de forma confiável é imprescindível que sejam lubrificados.


Pode-se dizer que a lubrificação é uma das tarefas mais importantes para a manutenção de máquinas. Isso se deve ao fato de o óleo não somente lubrificar as partes móveis, mas também limpar os equipamentos e auxiliar no controle de temperatura.


3. INSPEÇÕES ROTINEIRAS


Uma prática fundamental de manutenção de máquinas é a realização de inspeções rotineiras. Esse acompanhamento dos equipamentos permite que as empresas acompanhem o estado de cada um dos itens utilizados, e possibilita monitorar a degradação de componentes críticos.


As inspeções também são essenciais para a detecção de pontos que carecem de reparo, sendo elas um fator decisivo para o planejamento de eventuais reparos ou paradas para manutenção.


4. MANUTENÇÃO PREVENTIVA


A manutenção preventiva diz respeito a todos os procedimentos que são seguidos de forma periódica e tem como objetivo manter as máquinas em funcionamento e evitar o aparecimento de quebras.


As intervenções preventivas variam bastante de acordo com o equipamento, mas geralmente envolvem tarefas como: a troca dos filtros de óleo e de ar, a drenagem e substituição do óleo lubrificante, entre outros procedimentos.


O mais importante é que a manutenção preventiva siga todas as tarefas citadas no manual da máquina. Ao seguir o plano de manutenção determinado pelo fabricante, é possível reduzir a probabilidade de quebras, aumentar a disponibilidade dos equipamentos e reduzir os custos.


Agora que você já conhece boas práticas de manutenção de máquina, veja 6 dicas para uma gestão de custos eficiente e aprenda a potencializar seus ganhos!


QUANDO DEVE SER FEITA A MANUTENÇÃO PREVENTIVA?


Equipamentos com a manutenção em dia tendem a ser mais seguros e confiáveis aos operadores. Quando as máquinas não recebem um tratamento adequado de utilização e conservação tornam-se menos eficientes e produtivas, além de exigirem constantemente reparos e a substituição de peças.


A manutenção preventiva envolve inspeções regulares dos diversos tipos de equipamentos, especialmente aqueles que já estão dando sinais de que podem ter problemas futuramente.

A manutenção preventiva se destaca como um importante meio de manter o nível dos equipamentos, ou seja, programando intervenções periódicas para reduzir (ou eliminar) as chances que ocorram falhas e a deterioração do material.


A manutenção preventiva é o processo de inspeção ou intervenção nos equipamentos e máquinas. Assim, deve ser realizada periodicamente, mesmo que eles não apresentem problemas, assegurando o desempenho dos materiais estruturais e prevenindo formas de deterioração, fadigas e a corrosão.


QUAIS PONTOS DEVEM SER AVALIADOS NA MANUTENÇÃO?


A manutenção preventiva tem como objetivo a resolução de problemas potenciais antes que eles aconteçam. No entanto, manter um cronograma de manutenção eficiente requer muita disciplina e dedicação por parte de toda a equipe.


Entre alguns pontos de destaque que devem ser avaliados na manutenção preventiva estão:


  • cabos de energia que geralmente possuem muitas partes móveis — devem ser verificados com frequência;

  • engrenagens e eixos — são peças que apresentam uma longa durabilidade e não precisam ser substituídos em sua totalidade, porém devem ser sempre avaliadas;

  • juntas, vedações e materiais de fricção — precisam ser periodicamente inspecionados devido ao desgaste operacional;

  • óleo das maquinas — deve ser monitorado e testado para o diagnóstico de falhas e problemas de funcionamento;

  • filtros — devem ser trocados com frequência;

  • lubrificação de rolamentos — devem ser verificados periodicamente;

  • torque de parafusos — realizar testes regularmente;

  • softwares — avaliar a correta implementação e suas atualizações.


É fundamental que os profissionais responsáveis pela manutenção preventiva tenham um cronograma previamente estabelecido, de forma a seguir um checklist regular dos componentes, equipamentos e máquinas que devem ser verificados — uma forma de controlar o que e quando precisa ser inspecionado.


QUEM PODE REALIZAR A VERIFICAÇÃO?


A manutenção preventiva é o primeiro passo para não ter problemas com máquinas e equipamentos. Para isso, é importante contar com uma empresa prestadora ou um profissional capacitado para realizar os reparos e manutenções.


Dependendo do tipo de reparo ou manutenção, os profissionais responsáveis devem ter uma especialização mais aprofundada e com a adoção correta de procedimentos de segurança.


Uma manutenção inadequada ou realizada de forma incompleta pode comprometer a segurança de todos os envolvidos nas operações da empresa. Por isso, a utilização de mão de obra especializada e qualificada é tão importante.


A equipe técnica precisa conhecer os procedimentos internos e a estrutura adequada para a realização da manutenção preventiva, tendo em vista a padronização dos processos, a utilização de ferramentas, máquinas e aparelhos específicos para a prestação do serviço.


É PRECISO CRIAR RELATÓRIOS DE CONTROLE?


Ao executar a manutenção preventiva é preciso criar relatórios de controle ou manutenção dos problemas detectados e a forma como eles foram selecionados.


A equipe de vistoria dos equipamentos e máquinas precisa conhecer o histórico de manutenção realizada. Ou seja, as especificações relatadas acerca do aparelho, os erros anteriores, as soluções apresentadas, enfim, conhecer os erros e falhas para que não voltem a acontecer ou sejam remediados de uma forma mais eficiente.


Por meio do relatório de controle é possível planejar as manutenções preventivas, criando um calendário para as inspeções já realizadas e também para as futuras.


Um adequado acompanhamento de manutenções garante que os equipamentos sejam verificados dentro do tempo hábil, evitando problemas, gastos e ainda aumentando a produtividade da equipe.


Gostou de nosso artigo sobre boas práticas de manutenção? Então não deixe de compartilhá-lo em suas redes sociais para que mais pessoas tenham acesso a esse conteúdo!




1 visualização
  • Facebook - Simova
  • LinkedIn - Simova
  • YouTube - Simova

Av São João, 2504, Jardim das Colinas, São José dos Campos, São Paulo, Brasil, CEP 12242000